segunda-feira, 28 de junho de 2010

Cangaia de Jegue faz bom show no Forró do Cais

Fonte: Maragojipe 24 Horas
Por: Gabriel Souza


A Banda Cangaia de Jegue terminou agora pouco sua apresentação no Forró do Cais 2010. O público presente dançou bastante e fez côro com a Banda em algumas canções que marcaram época. A apresentadora Xuxa, o saudoso Trem da Alegria e a Turma do Balão Mágico fizeram parte do bom repertório da Banda que empolgou a plateia. O Forró do Cais 2010 está chegando ao fim e já deixa saudades. Graças a Deus tudo transcorreu em paz e que os erros sirvam de incentivo para que no próximo ano nosso Forró seja ainda melhor.

Flor Serena e Tio Barnabé animam Forró do Cais

Fonte: Maragojipe 24 Horas
Por: Gabriel Souza



A noite de hoje, 26, no Forró do Cais, foi bastante animada. Primeiramente aconteceu um brilhante show da Banda Flor Serena que, surpreendendo a muitos, fez uma magnífica apresentação. Daniele Rangel e Forró Pé de Serra veio em seguida e, logo após, a Banda mais esperada da noite, Tio Barnabé, agitou o bom público presente. Queremos informar que os atrasos acontecidos com as bandas de renome não são culpa da Prefeitura. O Blog Maragojipe 24h não possui nenhum vínculo partidário e, por isso, tem propriedade para esclarecer esse fato. São João é festa em quase todo o nordeste, contudo não há como delimitar horário de atrações, principalmente bandas que estão consagradas e disputadas. O acontecimento de Adelmário Coelho foi patético sim, mas patético pra ele que, como artista renomado, não deveria desrespeitar Maragojipe. Nosso São João mantém o mesmo brilho e shows como o de Santanna, Virgílio, Seu Maxixe, Flor Serena e Tio Barnabé, nos fazem esquecer esses acontecimentos lamentáveis.

Seu Maxixe agita o Forró do Cais

Fonte: Maragojipe 24 Horas
Por: Gabriel Souza


A Banda Seu Maxixe, talvez a maior revelação deste São João, presente em todos os festejos juninos da Bahia, animou a noite de ontem, 25, no Forró do Cais. Mesmo começando seu show às 4:30h da manhã, muita gente ainda estava presente pra dançar ao som do sertanejo pop. Comandado por Berguinho, Seu Maxixe empolgou o público e relembrou grandes sucessos do cantor Leonardo. Vale lembrar que a iniciativa da Secretaria de Cultura e Turismo em cobrir a área central da festa contribuiu para que o público estivesse presente em bom número. Parabéns pela ideia e certamente não há mais como realizar o Forró do Cais sem essa proteção.

João, o Profeta!!

Fonte: Maragojipe 24 Horas
Por: Gabriel Souza


João, filho do sacerdote Zacarias e de Isabel, irmã de Maria, mãe de Jesus, nasceu numa pequena aldeia chamada Karim próxima a cidade de Jerusalém no ano 2 a.C. Na infância aprendeu a ler e escrever com seus pais por não existir escolas em Judá, mais tarde mudam-se para Engedi onde inicia-se na educação nazarista. Aos 19 anos com a morte de seu pai vai morar em Hebrom com sua mãe, tornando-se pastor de ovelhas. Alguns anos depois morre também sua mãe e daí em diante começa sua pregação anunciando a chegada do Messias. João Batista era um "revolucionário" intrépido e convicto de seu dever para com Deus e seu povo. Introduziu o batismo de gentios e batizou Jesus seu primo em 2º grau. Conforme relato Bíblico, quando no Batismo de Jesus Cristo, uma voz se ouviu dizendo: este é o meu filho amado no qual ponho toda a minha complascência. Em um de seus discursos, acusa Herodes Antipas de ter relações amorosas com sua cunhada Herodíades e por isso é preso e condenado à morte por decapitação.

Curiosidades:
Dizem que quando João nasceu, sua mãe acendeu uma fogueira no terreiro, para que sua prima Maria soubesse que ela tinha dado a luz. Por isso no Brasil comemora-se o nascimento de João acendendo fogueira nas portas das casas.
No Espiritismo, João seria o profeta Elias;
No Islamismo é considerado um de seus profetas;
Na Umbanda é sincretizado como orixá Xangô.

Santanna dá show no Forró do Cais

Fonte: Maragojipe 24 Horas
Por: Gabriel Souza


Parabéns Santanna! É assim que começamos a presente matéria. Parabéns pelo belíssimo show e pela humildade. Você é uma pessoa do povo, um ser humano que merece os cumprimentos dos maragojipanos. Maragojipe agradece pela apresentação magnífica e agradecemos porque o prefeito já anunciou sua presença no próximo ano. Sem dúvida foi uma das apresentações mais maravilhosas que Maragojipe já assistiu. Sua simpatia, humildade (palavra que falta em muitos) fazem de você um forrozeiro reconhecido e abençoado. Maragojipe estará sempre de portas abertas pra você.

Comidas Típicas estão em alta

Fonte: Maragojipe 24 horas
Por: Gabriel Souza



A procura por produtos típicos é grande nas feiras e mercados da cidade. Amendoim, pamonha, canjica, cuscuz, bolo e licor são os mais procurados com a proximidade do São João. Nesta época pode-se desfrutar de pratos diversos e se divertir, comendo as delícias das festas juninas. Conta a história que as comemorações juninas surgiram na época pré-gregoriana, em comemoração à fartura das colheitas, no solstício de verão, onde faziam-se uma grande festa pagã para agradecer a fertilidade da terra. Essa festa é realizada no dia 24 de junho. Diz a lenda que São João adora festa, mas que é preciso muitos fogos e uma enorme fogueira. Se depender dos maragojipanos, isto não irá faltar!

São João: Chuva, Licor e morte da tradição

Fonte: Diário Maragojipano
Por Jorge Dias

Bom, se formos colocar o evento São João com um grau de importância para a cidade veremos que o Forró do Cais já deu o que tinha que dar, pelo menos no modelo que aí se apresenta. Vejamos: A festa é muito bonita, logo, o ambiente precisa se apresentar assim também. Não é o que acontece! A praça estava escura e sem o brilho característico da festa. Outro erro da organização foi o telão, que mostrava várias bandas e a propaganda da Prefeitura, mas não mostrava o show…então, pra que servia?

SEGURANÇA:

Por outro lado, a segurança funcionou (quase) muito bem. O único erro que posso apontar, mas daí nem sei se posso creditar a segurança em si, foram as viaturas da GM passando no meio do povo… ora! do lado do campo tem vias de acesso!

Gostei da postura da Guarda Municipal…Fardados, discretos e tranquilos. O mesmo posso dizer da PM e de todos os militares presentes. Parabéns!

ORGANIZAÇÃO:

Aí tenho críticas pesadas… Primeiro: Não havia em lugar nenhum na cidade placas indicando onde e como chegar ao Forró do Caís. Isso é simples de se resolver, mas não entrou, pelo visto, na preocupação com o turista. Mas o desastre maior, de certo, foram os atrasos, em especial de Adelmário Coelho. Em 2009 também houve atrasos na programação.

SAÚDE:

Se havia algum posto de saúde, esqueceram de sinalizar e avisar ao povo, pois rodei no caís e não vi nem uma ambulância. Esse é um erro imperdoável numa época em que as pessoas tendem a beber mais e podem facilmente se queimar ou se machucar. Campanhas não foram feitas para conscientizar as pessoas sobre drogas e sexo seguro…faltou dinheiro?

AS ATRAÇÔES:

Como falei acima, o atraso do primeiro dia frustrou muita gente. Muitos que foram para assistir o Adelmário Coelho tiveram que esperar até o quase o fim da madruga para curtir. Vírgílio, como sempre, fez um show grandioso, mas exatamente igual ao do ano passado; Até mesmo na sequencia das músicas, mas dançante e animado. Que é o que importa no final. TATAY, foi que teve que cobrir o atraso e fez muito bem seu papel. Tocou forró e colocou todo mundo para dançar. Prata da casa, mas com muita personalidade! No segundo dia a chuva atrapalhou muito. Só não foi pior porque uma ótima ideia foi posta em prática: Toldos que cobriam o centro da praça e dava esse conforto as pessoas. Dentro do Mercado, como no ano passado, resolveram manter o centro de comando e algumas atrações. O povo dançou e se esbaldou com Iracema, que com sua voz potente e competente e um repertório igualmente competente e bem escolhido, colocou todo mundo para dançar, estava mais animado que na rua.

Eu poderia falar aqui de todas as bandas, mas, como nota geral, prefiro dar um 8 sem ressalvas. Todas cumpriram seu papel e tocaram muito bem dentro de seu estilo.

A Radio Vox de Muritiba transmitiu também a festa, que foi coberta também pelo Tribuna Popular.

A animação foi total. Bonito de se ver mesmo! As pessoas animadas e dançando forró, coladinho com suas parceiras e parceiros. Muito licor (nem todos bons) e, mais um ano, nada para se comer de tradicional por lá. Tinha um churraquinho duro que só.

Alguns pequenos erros, outros maiores, mas tudo dentro da normalidade! Vamos esperar agora a Festa de Agosto.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Dia de São João

Fonte: Maragojipe 24 horas
Por: Gabriel Souza


Hoje, 24, celebra-se o "santo festeiro" São João. Nesta data as festas espalhadas por todo o nordeste são recheadas de muitas danças, em especial o forró. São João também é conhecido como o protetor dos casados e enfermos, principalmente no que se refere a dores de cabeça e de garganta. Alguns símbolos são conhecidos por remeterem ao nascimento de São João, como a fogueira, os fogos, a palha e o manjericão. Existe uma lenda que diz que os fogos de artifício soltados no dia 24 são "para acordar São João". A tradição acrescenta que ele adormece no seu dia, pois, se ficasse acordado vendo as fogueiras que são acesas em sua homenagem, não resistiria e desceria à terra.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Em Maragogipe, tem muita quadrilha!!!

A criançada se diverte, e fica toda animada. As escolinhas da cidade fazem de tudo para alegria da garotada. E depois de uma boa dança pelas ruas maragogipanas, tem muita festa ao chegar na escola.





terça-feira, 22 de junho de 2010

São João 2010

I
Lá no meu quintal
caiu um galho da mangueira
tenho pau com fartura
para armar minha fogueira

II
Não trabalho com machado
com medo de ser ferido
já armei minha fogueira
com o galho que foi caído

III
Respeitem a mãe natureza
desmatar é proibido
armem suas fogueiras
com os paus que estão caídos

domingo, 20 de junho de 2010

Forrozão Língua de Sogra - Não ligue se eu lhe perguntar

Forrozão Língua de Sogra - Seis Casamentos

Forrozão Língua de Sogra - Chapinha

sábado, 19 de junho de 2010

São Pedro com Guerra de Espadas 2008

Maragojipe festejou Santo Antônio

Com a trezena inciada no início do mês de junho, os fiéis de Santo Antônio festejaram fizeram sua festa. Desde o dia 1º de Jubnho que os devotos do Santo participaram da festa. Com uma alvorada as 00hs informando a todos os fiéis que o mês do Santo começou, daí todos os dias a partir das 19:30hs a população participava do trezenário que este ano foi muito concorrido com mais de 400 pessoas cada dia, o ponto alto da festa foi seu grande dia, com uma alvorada as 00hs, a missa festiva esse ano começou as 10hs com a celebração de Pe. Mateus, com o trezenário as 19:30 e logo após a Procissão com a participação da imagem da igreja de Nossa Senhora do Amparo da Comissão e a presença da Filarmnônica 2 de Julho. Cada ano que passa os fiéis de Santo Antônio aumentam que mostra em cada semblante a fé e a piedade no Santo casamenteiro.

Maragojipe Acontece
Postado por Artur Lameira
Em 17/06/10

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Santa Casa de São Félix ameaça fechar Emergência no São João

Fonte: Alzira Costa Jornalista

Santa Casa de São Félix ameaça fechar Emergência no São João



A direção da Santa Casa de Misericórdia de São Félix (distante 110k km de Salvador), ameaça suspender os atendimentos de urgência e emergência no Hospital Nossa Senhora da Pompéia durante os dias dos festejos juninos sob a alegação da falta de segurança para médicos e funcionários da unidade de saúde. De acordo com o diretor-médico da Santa Casa, Odilon Cunha Rocha, a proposta vem sendo discutida pela direção da instituição diante das reclamações dos profissionais de saúde que atuam no setor Emergência e deverá já entrar em vigor durante o próximo período dos festejos juninos.

Profissionais de Saúde da Santa Casa denunciam que estão sendo vítimas constantes de agressões físicas e verbais, por parte de pessoas que necessitam de cuidados médicos principalmente nos finais de semana quando há eventos festivos na região. Temendo que a violência cresça contra seus profissionais pelo aumento do abuso de bebidas alcoólicas durante o São João, a Santa Casa, segundo a direção, admite a possibilidade de manter somente funcionando os atendimentos de rotina nos dias da festa.

Conforme os relatos dos médicos, enfermeiros e funcionários à direção da Santa Casa, quase sempre as agressões estão relacionadas casos de consumo de álcool e drogas. “Há casos de pessoas que acompanhadas por parentes e amigos que visivelmente transtornados invadem o Setor de Emergência do hospital, batem nos médicos quando não quebram alguma coisa, para ter a prioridade no atendimento mesmo sem ser constatada a necessidade”, contou o Odilon Rocha.

Ainda de acordo com o diretor-médico, a Santa Casa conta com um serviço de segurança particular, mas não possui poder de polícia. “Nossos profissionais estão à mercê desta prática violenta que está se transformando numa rotina”, frisou Odilon Rocha. A direção da Santa Casa está reivindicando do Estado o policiamento do hospital, como ocorre em unidades médicas estatais.

O hospital da Santa Casa de São Félix atende pessoas do próprio município e dos demais vizinhos da região, a exemplo de Cachoeira que realiza uma grande festa junina que atrai milhares de visitantes, Maragojipe, Cruz das Almas, Muritiba, Governador Mangabeira, Cabaceiras do Paraguaçu, dentre outros. O hospital o único próximo desses municípios que dispõe de uma unidade de terapia intensiva.

domingo, 6 de junho de 2010

Flávio José em Maragogipe

Simpatias

Quem será?
Na noite de São João, de 23 para 24, enfie uma faca nova em uma bananeira. No dia seguinte, bem cedo, ao retirar a faca, nela você vai encontrar escrito o nome do futuro amor.

Será que vou me casar?
Na véspera do dia de Santo Antônio pegue um copo branco, novo, e à meia-noite coloque água. Em seguida, quebre um ovo gelado dentro do copo, cuidando para não arrebentar a gema. Deixe o copo no sereno pelo resto da noite. No dia seguinte, antes do nascer do sol, pegue o copo e observe: se estiver coberto por uma névoa branca é sinal que você vai se casar antes do dia de Santo Antônio do ano seguinte. Se não…

Magia no papel
Na noite de São João, corte papéis em pedaços pequenos e escreva neles os nomes de vários pretendentes. Em seguida, enrole-os e coloque-os em uma bacia com água. O papel que desenrolar primeiro indicará o nome do futuro companheiro.

Jovem ou velho?
Na noite de São João, passe um ramo de manjericão sobre a fogueira e jogue-o sobre o telhado de sua casa. Se no dia seguinte ele ainda estiver verde é sinal de casamento com jovem. Se estiver murcho, com pessoa velha.

O poder do carvão I
Retire dois pedaços de carvão da fogueira de São João. À meia-noite, coloque os carvões em uma bacia com água. Se o maior afundar, é porque o marido vai morrer primeiro. Se os dois afundarem, o casal vai morrer junto. Se os carvões boiarem, o casal terá vida longa.

O poder do carvão II
Depois de apagada a fogueira, os carvões que restam têm poderes extraordinários. Por exemplo, andar com um pedaço deles no bolso traz felicidade e dinheiro o ano todo.

Reconciliação
Acenda duas velas, uma rosa e outra azul, amarradas com linha branca, e as ofereça à corrente dos Anjos da Reconciliação, pedindo-lhes que desfaçam os malentendidos e que tragam harmonia para a relação.

Para ter seu amor de volta
Num papel vermelho em forma de tira escreva o nome da pessoa que você ama e quer que volte para você. Cole também uma foto dela nesse mesmo papel. Coloque meio litro de água benta em um jarro transparente e sete botões de rosas vermelhas. Em seguida vá a uma igreja que tenha a imagem de Santo Antônio e deposite o jarro no altar do santo. Em casa, acenda sete velas brancas amarradas com a tira de papel vermelho, ofereça-as ao santo e ore pela volta do seu amor. É infalível!

Para conhecer alguém especial
Durante três noites seguidas durma com a imagem de Santo Antônio embaixo da cama e, antes de pegar no sono, imagine-se rodeada por uma luz cor-de-rosa. Na manhã do quarto dia prepare um banho com cascas de maçã e uma colher de mel. Rapidamente você vai conhecer uma pessoa muito especial.

Para quem está só e quer companhia
Abra a porta da frente de sua casa para que Santo Antônio permita que alguém especial entre em sua vida, dizendo: “Santo Antônio, protetor dos enamorados, faça chegar até mim aquele que anda sozinho e que em minha companhia será feliz”.

Para quem só “fica” e quer compromisso
Retire três espinhos de uma rosa vermelha e coloque-os dentro do perfume que você usa e que a pessoa gosta, pedindo a Santo Antônio que remova todos os obstáculos. Use o perfume sempre que estiver com a pessoa.

Para descobrir quem é seu amor
No dia de São Pedro, guarde um pouco da comida do almoço e do jantar. Antes de dormir, faça um prato com essa comida e deixe-o sobre a mesa, com os talheres, em uma toalha branca. À noite, você sonhará com aquele que será sua cara-metade.

Para confortar seu coração
Jogue em uma bacia com água cravos, folhas de alecrim e manjericão e deixe descansar. No dia de São João tome um banho e jogue essa água no corpo, do pescoço para baixo, invocando a proteção dele.

Procura-se um namorado
Amarre uma fita vermelha e outra branca na imagem de Santo Antônio e, enquanto estiver dando os nós, faça o pedido. Reze um Pai Nosso e pendure a imagem do santo de cabeça para baixo, sob a cama. Só desvire quando o pedido for atendido.

Jogos de Terreiro

Além da música típica e guloseimas, o São João tem jogos para divertir o público, conheça os principais:

Foto: BahiaTursa
Brincadeira que anima as festas juninas, principalmente a festa em homenagem a São Pedro no Sudeste, e também está presente nas festas natalinas, no Nordeste. O pau-de-sebo é um mastro (não confundir com o mastro dos santos juninos) de madeira envernizada com aproximadamente cinco metros de altura. É cuidadosamente preparado: tiram-se todos os nódulos da madeira, que depois é lixada, e passa-se sebo de boi ou cera. O pau-de-sebo é então solidamente plantado no chão e muitas vezes recebe, no topo, um triângulo de madeira ao qual se amarra dinheiro (uma cédula de valor alto ou um depósito repleto de dinheiro).

A brincadeira consiste em, abraçado ao pau-de-sebo, tentar subir e alcançar o prêmio. Como o mastro foi revestido com cera, dificilmente os que participam da brincadeira conseguem subir até seu topo, Escorregam até perto do chão e voltam a insistir várias vezes, até desistir ou atingir o alvo, quando recebem palmas e vivas das pessoas que estão assistindo.

Catar Amendoim
Cada criança deve apanhar, com uma colher, os amendoins colocados à sua frente, a uma certa distância, e levá-los para seu lugar, junto à linha de partida, um de cada vez. Vence quem primeiro reúne cinco grãos.

Corrida de funis
Introduzir dois funis numa corda, com a parte mais estreita voltada para um laço feito no centro. Os jogadores terão de, apenas soprando, levar os funis até o laço.

Corrida do Saci
Riscar no chão duas linhas paralelas, sendo uma a de chegada. Ao sinal combinado, as crianças saem pulando num pé só em direção à linha de chegada.

Corrida de Sacos
Semelhante à corrida do Saci, cada jogador faz o percurso com o corpo enfiado num saco bem preso à cintura.

Corrida de Três pés
Cada jogador amarra a sua perna esquerda à perna direita do parceiro e, assim, os dois pulam até a linha de chegada.

Fonte: São João da Bahia

Ovo na Colher
Cada participante corre equilibrando um ovo cozido (ou tomate ou batata) numa colher.

Festejos em Santo Antônio de Aldeia

Por: Portal Maragojipe 24h



A tarde de hoje, 06, foi bastante animada na comunidade de Santo Antônio de Aldeia, zona rural de Maragojipe. A lavagem profana que aconteceu não deixou ninguém parado e agitou a principal praça da localidade. As atividades festivas fazem parte do ciclo de comemorações ao protetor do lugar, Santo Antônio. No próximo domingo, 13, data maior da comunidade rural, haverá missa em louvor ao Santo, acompanhada de Procissão, que sairá pelas ruas e estradas que dão acesso ao local.

O ritmo quente das festas juninas

Forró


Existem duas atribuições para a origem do nome forró. Uma delas é que corresponda etimologicamente ao termo forrobodó, que - na linguagem do caipira brasileiro - quer dizer festança ou baile popular onde há grande animação, fartura de comida e bebida e muita descontração. A outra é ao termo inglês for all (para todos), usado para designar festas feitas nas bases americanas no Nordeste, na época da Segunda Guerra Mundial, e que eram abertas ao público, ou seja, “for all” e a pronúncia local transformou a expressão em forró. A música é tocada à base da sanfona, da zabumba e do triângulo, conhecida como arrasta-pé ou pé-de-serra, sendo esta última considerada a versão mais autêntica. O ritmo sofreu algumas variações e atualmente alguns músicos incorporaram o baixo, a guitarra e a bateria às suas melodias.


Baião

Acredita-se que a palavra baião tenha surgido de bailão, fazendo alusão a "baile grande". Esta dança popular do século XIX permite a improvisação, sendo mais rápido do que o xote que a torna mais viva.

A habilidade nos pés é maior, exigindo movimentos mais velozes do corpo. Os passos são acompanhados por palmas, estalos de dedos e "umbigadas". A marcação da dança segue a musicalidade dos cocos e da sanfona.

Fonte: © Hotsite São João Pernambuco.com

As espadas


Soltar espadas é divertido, mas tenha bastante cuidado.

As espadas de São João não oferecem perigo quando "tocadas" com proteção adequada.

Devido a sua potência ela pode deixar marcas irreparáveis, portanto, seja cauteloso(a), não solte espadas sem o devido conhecimento, não brinque com as espadas colocando-as na boca, cabeça etc.

Seja prudente, não jogue espadas sobre as pessoas e curta um São João sadio.

Origem

A espada originou-se do diabinho ou mosquito, canudinho de papel de cerca de 5 centímetros de comprimento por 3 a 4 milímetros de diâmetro, cheio de pólvora socada que corria doidamente nos passeios, trepava nas paredes ou arrancava do solo e se extingüia no ar; mas também muitas vezes, indiscreto e malicioso, metia-se debaixo das saias, provocando sapateados, gritos e carreiras. Depois surgiu o busca-pé chorão, assim chamado porque apenas corria e chiava, inapto a explodir. Esse já era feito de um pequeno gomo de taquara, reforçado exteriormente por um carbonato enrolado em espiral, e fechado com barro de maçapê em ambas as extremidades. Numa delas, o fogueteiro abria com a broca o orifício do mesmo nome e, enchendo-o com pólvora umedecida para melhor aglutinação, preparava a escorva do artefato, protegendo-a, afinal, com um taco de papel enrolado e fechado à guisa de tampa. Em tamanho maior, chamava-se besouro, porque já roncava seu bocado; cometia maiores desatinos e podia vulnerar seriamente a quem topasse descuidado. Aí, chegava a vez do busca-pé de estouro, engenho preparado com especial atenção. Dentro do tubo e próximo de uma das pontas, o artífice arrumava o material detonante, e quando enrolava o fio, cuidava de marcar o local, dando aí mais largo passo à espiral. Devia-se pois, como medida de precaução, segurar a peça abaixo dessa marca, para menor risco no caso de um jibu, isto é, de um estouro prematuro. O busca-pé de limalha ou, abreviadamente, o limalha, era o membro maior da espécie, fabricado com os requintes da arte do busca-pé de estouro, mas recebendo no seu conteúdo inflamável certa porção de pó de aço ou de vidro. Resultava daí que o poderoso jato de fogo que escapava pela broca era uma chama branca e deslumbrante, em vez de avermelhada e fumarenta produzida pela combustão da pólvora homogênea. Esse era a arma legítima dos antigos combatentes, tão belos quanto perigosos. Nos tempos dessas justas formavam-se grupos capitaneados por um cidadão mais influente ou de mais largas posses, e dirigiam-se ao encontro uns dos outros, às vezes para ajuste de rivalidades que vinham de anos anteriores. Conduzindo os buscas-pés prudentemente presos ao cinturão, com a broca para baixo, o que nem sempre evitava acidentes, ou resguardados em bornais de couro, os novos falangitas usavam muitas vezes luvas e casaco desse material, molhados de vez em quando, por precaução. Defrontavam-se os grupos ao acaso ou em lugares previamente marcados – uma rua mais larga, uma praça de igreja. E então, colocando-se estrategicamente, cada legionário empunhava seu buscapé, rasgava o papel da escorva e encostava-lhe o cigarro ou o charuto, quando não o acendia na fogueira que ia ser defendida do ataque inimigo. Em alguns, nada disso era preciso: bastava batê-lo de fronte numa superfície dura, e uma pequena porção de massa detonante produzia a fagulha inicial. A princípio hesitante, enquanto queimava a pólvora exterior, logo de dentro do tubo surgia a espada, uma chama resplandecente, sibilante, poderosa, capaz de arrancá-lo da mão que o prendia e levá-lo para longe, para o ar, doidamente, perigosamente.

Fabrico

As espadas são fabricadas utilizando salitre, enxofre, carvão de guaraná, pólvora, barro, bambu maduro, sisal, cordão, breu, parafina, cera de abelha e óleo de coco. Uma mistura explosiva que deve ser manipulada por pessoas experientes. Não tente fazer isso em casa.

Veja as fotos abaixo e suas legendas...

Preparando o cordão com o cerol para envolver
o bambu evitando o rachamento da espada.
Enrolando a Espada com o cordão já com cerol
Após enrolar, serra-se as espadas retirando a ponta.
Após enrolar, serra-se as espadas retirando a ponta.

Enchendo a espada com pólvora.

Batendo a espada. São dadas, em média, de 40 a 50 batidas
por camada. A depender da espada, se tem de 2 a 3 camadas.

Fotos: Rubens

Ministério Público recomenda combate à fabricação de espadas em Cruz das Almas


O Ministério Público da Bahia (MP-BA) fez uma recomendação aos policiais civis e militares que atuam na cidade de Cruz das Almas (distante 146 km de Salvador), para combater as atividades de fabricação e comercialização clandestinas das tradicionais espadas utilizadas no São João. O promotor de Justiça Christian Ribeiro de Menezes é o autor do documento expedido nesta terça-feira, dia 1º.

A orientação do MP-BA é que todo a matéria-prima ou artefatos incendiários, já fabricados e de origem ilícita ou locais de venda e comercialização irregulares da espada, devem ser apreendidos.

O órgão entende que a fabricação das espadas, tradicionalmente produzidas de forma artesanal e sem a fiscalização necessária, além de provocar risco à população, pode gerar danos físicos e patrimoniais.

A fabricação clandestina é proibida por meio da lei 10.826/03 que criminaliza a conduta de posse, detenção, fabrico ou emprego de artefato explosivo ou incendiário, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, com penas de reclusão de três a seis anos e multa.

FONTE: A Tarde

Você acha que há uma solução para este problema? Qual?

São João - Programação e História

Programação Religiosa
Comunidade da Rua João da Cruz e Souza
Bairro do Cai-Cai
22, 21, 22 e 25/06/2010

O São João em Maragogipe é caracterizado pela enorme quantidade de fogueiras nas ruas e pela forte participação popular, especialmente a parcela que vive na zona rural do município. É possível dizer, sem medo de errar, que é o período no qual os maragogipanos natos mais se identificam. É também a festa em que a hospitalidade do maragogipano é mais visível e aflora com mais intensidade. As portas se abrem e os convites se multiplicam para saborear diversos goles de licor ou uma fatia de canjica ou bolo de aipim.

O dia do santo é 24 de junho, mas a véspera é o dia mais animado e esperado por todos, principalmente pelas crianças, que iluminam o céu e esquentam a noite festiva com traques, besourinhos e foguetinhos. A Capela de São João fica situada no Bairro do Cai-Cai.

Santo Antônio - Programação e História

Programação
Comunidade do Saboeiro
01 a 13/06/2010

Comunidade de Santo Antônio de Aldeia
01 a 13/06/2010


Filarmônica Terpsícore Popular
11 a 13/06/2010

Comunidade de Fanú Leite
01 a 13/06/2010

Comunidade de Oiteiro de Santo Antônio - Nagé
01 a 13/06/2010

Samto Antônio nasceu em Lisboa, Portugal, no dia 13 de setembro de 1191-1195?, e morreu no dia 13 de junho de 1231 nas vizinhanças de Pádua, Itália. Por isso, é chamado Santo Antônio de Lisboa e Santo Antônio de Pádua, um dos santos mais populares da Igreja, "o santo do mundo todo", chamou Leão XIII. 


Santo Antônio impressiona pela sua taumarturgia (relação de milagres). É, na história da igreja, a mais vasta e variada. Em Maragogipe, os festejos juninos são iniciados com a veneração ao Santo Casamenteiro, como também é conhecido. A novena começa no dia 01 de junho e é a mais concorrida do período. A Capela do bairro do Saboeiro fica completamente tomada pelos fiéis, que agradecem as graças alcançadas, ensejando novos pedidos.

CURIOSIDADE: A Capela de Santo Antônio, no Saboeiro, na verdade, não pertence a ele. A verdadeira "dona" é Nossa Senhora da Lapa, que se encontra atualmente na parte inferior do altar.

Fonte: Prefeitura Municipal de Maragogipe
Foto: Turismo em Maragogipe

Forró do Cais - Maragogipe 2010

Foto: Prefeitura Municipal de Maragogipe
Uma das três mais importantes datas do calendário festivo de Maragogipe, o Forró do Cais é sinônimo de casa cheia. Diferindo de outras cidades, que optam por um forró mecânico, comercial e espetaculoso, o Forró do Cais é muito mais rico em cultura e o ritmo que predomina no terreiro é o autêntico forró pé-de-serra. Uma festa pra toda família, para o rico e para o pobre. Uma festa para quem procura diversão e muita paz. O bucólico bairro do Caijá abriga um imenso arraial, onde quadrilhas e noivos de araque se beijam e completam numa só alegria. Sem sombra de dúvida, um dos arrasta-pés mais originais e genuínos do interior da Bahia. Em ano de Copa do Mundo, a festa ganha cores que remetem à Seleção Brasileira de Futebol. No Forró do Cais 2010 é só chocolate!

Fonte: Prefeitura Municipal de Maragogipe

Forró nos distritos


Neste ano, nos distritos também terão uma programação, Nagé, Coqueiros e o Guaí, dos dias 24 à 26/06/2010 terão muito forró para agitar.

Forró de São Roque - Programação



23/06 
Saulera e Forró Marisco
Virgílio
Tatay

24/06
Sagas Venenosas
Forró da Gabriela
Denise Rabelo

25/06
Sarapatel com Pimenta
Tio Barnabé
Iracema

São Pedro - Programação e História

Comunidade da Enseada
27 a 29/06/2010

Guerra de Espadas
28 a 29/06/2010

São Pedro
Homem de origem humilde, ele foi Apóstolo de Cristo e depois encarregado de fundar a Igreja Católica, tendo sido seu primeiro Papa. Considerado o protetor das viúvas e dos pescadores, São Pedro é festejado no dia 29 de junho, com a realização de grandes procissões marítimas em várias cidades do Brasil.


Em Maragogipe a procissão percorre as ruas próximas ao bairro da Enseada, onde fica situada a sua "morada". Fogos de artifício e pau-de-sebo animam este dia. Na noite anterior, acontece a tradicional "Guerra de Espadas", um combate fictício entre os mais corajosos espadeiros de Maragogipe e de toda a região.

Fonte: Folder Prefeitura Municipal de Maragogipe
Fotos: Zevaldo Sousa
Related Posts with Thumbnails